Uma lição que será praticada, repetidamente, até à morte.

Prioridade.


 Sempre ouvi, mas nunca refleti a respeito. Tenho uma característica marcante que é a diversidade nos meus interesses, sim, sou bastante eclético. Isso eu carrego há mais de duas décadas e apenas hoje (é, neste momento o qual eu estou escrevendo) estampou-se na minha mente “Calma lá.”.

 Estou de férias e planejei fazer algumas coisas que serão de grandiosa valia, entretanto, subitamente minha mente recebeu o seguinte desejo “Gastarei meu tempo em um projeto já suspenso”. Esse projeto se chama Tibia Legends, é um canal no youtube que eu criei com o propósito inicial de divulgar os feitos lendários de vários jogadores durante a época áurea desse jogo (Daqui a 15 dias, o jogo terá 20 anos de existência). Mas, como assim, não está suspenso? Sim, comecei no final de dezembro de 2013 e parei em março de 2015, foi um trabalho árduo, pois, primeiro, as histórias são pré-2006 e eu comecei a jogar a todo vapor em 2006 apesar de ter contato com o jogo, por meio dos meus primos, desde 2004; Segundo, registros são escassos e as testemunhas e autores dos mesmos também, passei meses entrando no jogo e pesquisando na internet.

 Logo, me perguntei, por que caralhos eu voltaria com esse projeto? Primeiramente, por que parei? Parei por cansaço; vergonha pois fantasiei algumas coisas devido a falta de provas; não vivi essa época, apenas era fascinado sobre a mesma; eu incumbi a mim mesmo a tarefa de ser o historiador. O que me moveu a fazer isso? No começo foi a fascinação, as lendas, entretanto, quando você examina algo em profundidade, sempre haverá discrepâncias entre fatos e rumores e as mesmas revelaram-se para quebrar o romantismo que eu havia criado. É, nem todas lendas são lendas. Então por que continuei? Orgulho, devido as minhas habilidades computacionais, eu consegui muitos mas muitos registros, contatos, anciões do jogo, e a medida que eu postava no youtube, eu percebi que eu era o único com acesso a essas fontes, logo, me senti O historiador.

 Digamos que parei temporariamente em 2015, o projeto estava 7/10 em sua finitude. Realmente veio na minha cabeça “o que estou fazendo? Olha esse tempo todo que gastei”*Obs: 2013-2015, obviamente que não fiquei o tempo todo nesse projeto, era somente nas férias. Então, hoje, eu retomei do nada, sério, do nada, veio uma sensação de querer concluir, de ser o único (se conferir no youtube, só achará raridades extremas no meu canal), mas, em um milésimo de segundo um freio se acionou e comecei a refletir. Prioridade, priorizamos vários objetos para focarmos nos que acreditamos que será recompensador (Devo definir que a palavra recompensador se refere aos ganhos que você acredita serem valiosos). Concluir algo, por orgulho, para receber aplausos e apreços de viewers? É, melhor não. Então joguei tudo na lixeira e vim aqui escrever: Praticar a arte de priorizar, sempre. O mais engraçado é que o meu fascínio por essa época antiga demonstrou minha enorme vontade de ter vivido nela, algo que é impossível, então, contá-la foi meio que vivê-la mas pagando um preço alto. Ademais, por ler e reler, em meio as inúmeras edições, transitei pelo fluxo temporal e ocorreu que um quote de Aquiles, interpretado por Brad Pitt no filme Troia, passou na minha cabeça “Por isso ninguém lembrará seu nome”, além da minha vontade imensa de ter vivido nessa época, eu gostaria de ter realizado feitos no tempo que eu jogava (Mas não levava o jogo a sério pois eu apenas admirava as lendas do meu tempo, só queria me divertir com os meus amigos, o desejo de conquista veio após eu parar de jogar).

 Porém, já dizia o Steve Jobs “You can’t connect the dots looking forward you can only connect them looking backwards. So you have to trust that the dots will somehow connect in your future.” Quais foram os ganhos nessa empreitada? Eu conheci a história de um jogo que marcou a minha infância e adolescência, pratiquei muita tradução e redação, mexi com edição de videos, e… só, tudo isso movido por admiração e curiosidade inicial, e consequentemente, orgulho e vaidade.

 

11111263_1566031153665904_1691108967_n
Trecho do filme homem de ferro.

 Você pode se perguntar, “ganhos?”, Leia novamente o quote inicial do parágrafo anterior, de forma surpreendente, todas essas atividades que desempenhei me ajudaram de formas que eu jamais imaginaria: Trabalhei como “tradutor” (Suporte no RH dos asiáticos mais precisamente) em uma multinacional asiática, tirei 900 na redação do Enem sem ter estudado nada (Na verdade, eu acreditava que nem sabia escrever). No entanto, o que tirei de lição:


  1. Prioridade.
  2. Se não viveu, deixe para os que viveram pois eles relatarão (E de fato, foi relatado, acredito que meu trabalho foi uma coletânea bem organizada e com algumas informações novas, exceto os registros que eu recuperei em grande quantidade), a não ser que você seja um historiador contratado e não um amador fascinado;
  3. Feitos lendários necessitam das seguintes características: Sorte, preparação, dedicação e amizade;
  4. Não acredite em rumores, ceticismo sempre;
  5. Sempre contam o lado dos vencedores. Nem todas lendas são lendas, na verdade, a maioria das verdadeiras lendas são aquelas que passaram despercebidas, sempre apoiando e dando suporte a tais “lendas”;
  6. Não menosprezando os historiadores pois é devido a eles que sabemos dos ocorridos do passado, mas, eu acredito que todo historiador quando investiga essas épocas antigas, ficam com um gostinho de ter vivido e realizado algo, portanto, faça tal algo que foi priorizado e que seja recompensador! O matemático inglês G. Hardy tinha razão, segue um quote do seu livro A Mathematician’s Apology “It is a melancholy experience for a professional mathematician to find himself writing about mathematics (…) Exposition, criticism, appreciation, is work for second-rate minds”;
  7. E por último, move on Sir Milbol! goodbye Tibia & Tibia Legends Project!

 

R.I.P Tibia Legends: *2013 – † 2016

 

Deixo aqui um verso do lendário Karr Chaos.

 I’ve outlived legends and heroes, seen sights few even remember, pioneered that which people take for granted. I’ve raised empires; watched them decay into oblivion. I’ve created leaders; watched them crest and fall. I’ve forged eternal friendships; watched them fall out of time.

 Never surrender…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s